Nome Comum: Cobra-cega

Nome Científico: Blanus cinereus (Vandelli, 1797)

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Reptilia
Ordem Squamata
Família Blanidae
Género Blanus
Espécie B. cinereus

Sinonímias: Amphisbaena cinerea, A. oxyura, A. rufa, A. reticulata

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Trata-se de um réptil com aspecto vermiforme e um comprimento total que pode ir até aos 18 cm. O corpo é coberto de escamas dispostas longitudinalmente, o que lhe dá um aspecto segmentado, semelhante ao de um anelídeo; geralmente, exibe uma coloração entre o rosado e o salmão, por vezes acinzentada. Um das suas principais características são os olhos atrofiados, quase imperceptíveis, que estão na origem do seu nome vulgar. A cabeça é triangular e termina num focinho arredondado. Os membros estão ausentes. A cauda termina numa ponta arredondada.

Ocorre em diversos habitats mediterrânicos, sendo frequentemente encontrada em solos arenosos húmidos, fáceis de escavar e com um alto nível de húmus, pois tem hábitos subterrâneos. Pode ser encontrada em matos, baldios, charnecas secas ou galerias subterrâneas.

Endémica da Península Ibérica, em Portugal continental distribui-se por todo o território, podendo ser encontrada desde o nível do mar até aos 1800 de altitude. Tem maior incidência no interior do país, sendo mais escassa no litoral, especialmente no litoral centro e norte.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Parque Natural do Vale do Guadiana
Parque Natural da Serra de São Mamede
Parque Natural de Montesinho




> Abandono da agricultura tradicional (recurso à agricultura industrializada)
> Povoamentos de eucaliptos
> Perda do mosaico paisagístico (empobrecimento de locais de abrigo e alimentação)
> Pesticidas
> Urbanização

> Manutenção da agricultura tradicional
> Conservação da qualidade do solo
> Realização de estudos adicionais relacionados com a abundância e distribuição da espécie

Ligações Externas

Atlas dos Anfíbios e Répteis de Portugal (Loureiro et al., 2008)
Disponível no portal do ICNF

Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

Autor: MVBIO Validado por: