Nome Comum: Carvalho-pacense, carvalho-suberoso

Nome Científico: Quercus × pacensis F.M. Vázquez

Classificação Científica:
Reino Plantae
Divisão Magnoliophyta (Angiospermae)
Classe Magnoliopsida
Ordem Fagales
Família Fagaceae
Género Quercus
Espécie Q. pacensis

Estatuto de Conservação: NE - Não Avaliado

Híbrido resultante do cruzamento entre Quercus broteroi (carvalho-cerquinho) e Quercus suber (sobreiro), espécies parentais.

Árvore marcescente até 12 metros. Tronco: ritidoma suberoide e fusiforme, ou com cortiça incipiente. Folhas: tomentosas, planas, coriáceas, de margem sinuado-crenada a dentada-denticulada, normalmente mucronadas; nervos secundários curvos e irregulares; tomento denso, branco-acinzentado, composto quer por tricomas estrelados de raios compridos (>170 µm) finos, quer estrelados de raios curtos (≤ 150 µm) grossos, e tricomas simples, nomeadamente na nervura principal. Fruto: cúpulas com escamas alargadas, imbricadas a sub-livres, adpressas na zona basal e livres a retroflexas para o ápice. Frutificação anual.

Planta indiferente edáfica, comum entre os parentais, nomeadamente em carvalhais de carvalho-cerquinho, sobre materiais silicatados quando co-dominados por sobreiro.

Comum no sul de Portugal, na bacia ceno-antropozóica do Tejo-Sado e nas serras do Alentejo, ocorrendo pontualmente no centro-oeste calcário e Beira Interior.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina

Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Autor: Carlos Vila-Viçosa Validado por: