Nome Comum: Rã-verde, Rã-comum

Nome Científico: Pelophylax perezi (López-Seoane, 1885)

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Amphibia
Ordem Anura
Família Ranidae
Género Pelophylax
Espécie P. perezi

Sinonímias: Hylarana perezi, Rana esculenta perezi, Rana ridibunda perezi, Rana perezi

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Trata-se da rã mais comum em Portugal. É um anuro razoavelmente grande (chega a atingir os 10 cm), sendo a fêmea maior do que o macho. O focinho é pontiagudo e a cabeça é larga. Os olhos (com pupila horizontal elíptica e íris dourada) são grandes, muito próximos e salientes. Destacam-se os tímpanos grandes, bem visíveis, castanhos ou amarelados. A pele é lisa ou ligeiramente enrugada, sendo que a cor e os padrões do dorso podem variar muito: geralmente são verdes mas também podem ser acinzentadas ou acastanhadas. Habitualmente, apresentam uma listra vertebral verde-alface ou amarelada e duas pregas dorsolaterais amareladas ou acastanhadas. A ladear a listra vertebral, surgem duas linhas rectangulares e irregulares de manchas mais escuras. Os membros posteriores são bem desenvolvidos e podem apresentar um padrão bandado. A zona ventral é esbranquiçada e pintalgada de manchas mais escuras. Os machos são providos de dois sacos vocais, visíveis de cada um dos lados da boca. Os girinos apresentam uma barbatana dorsal baixa, sendo verdes ou castanhos e manchados na zona dorsal.

Trata-se de uma espécie com uma grande plasticidade ecológica, podendo ser encontrada numa enorme variedade de habitats aquáticos. Ocorre tanto em águas lênticas como lóticas, podendo inclusive resistir a algum grau de salinidade e de poluição. Reproduz-se exclusivamente em meio aquático.

Espécie amplamente distribuída pela Península Ibérica. Em Portugal continental ocorre em todo o território, podendo ser encontrada desde o nível do mar até aos 2000 metros de altitude. Foi introduzida no arquipélago da Madeira.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Reserva Natural do Estuário do Sado
Parque Natural do Vale do Guadiana
Parque Nacional da Peneda-Gerês
Parque Natural da Serra de São Mamede
Parque Natural de Montesinho




> Alteração/destruição do habitat e dos locais de reprodução
> Destruição/perturbação de indivíduos (e.g. para consumo)
> Poluição dos cursos de água (de origem agrícola, industrial ou pecuária)
> Práticas agrícolas (e.g. uso massivo de produtos químicos)
> Introdução de espécies exóticas
> Seca

> Recuperação e protecção do habitat e dos locais de reprodução
> Controlo da poluição
> Controlo de espécies exóticas
> Incremento da investigação sobre os impactos das doença infecciosas na espécie

Ligações Externas

Atlas dos Anfíbios e Répteis de Portugal (Loureiro et al., 2008)
Disponível no portal do ICNF

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Projecto "Charcos com Vida"
Ficha da Rana perezi

Autor: MVBIO Validado por: