Parque Natural de Montesinho

Com uma área de 74.229 ha, encontra-se localizado na Terra Fria Trasmontana, extremo nordeste de Portugal, sendo formado pelas áreas das serras de Montesinho e Coroa (parte setentrional dos concelhos de Bragança e Vinhais), fazendo fronteira a nascente e a poente com Espanha. É constituído por uma sucessão de elevações arredondadas e vales encaixados, com altitudes desde os 438 m aos 1481 m. Engloba uma enorme diversidade de vegetação, destacando-se os carvalhais de carvalho-negral (Quercus pyrenaica), considerados uma das maiores e mais importantes manchas da espécie. Destacam-se ainda os soutos, sardoais, bosques ripícolas, matos de giestas, urzes ou estevas, e lameiros (prados naturais). Na flora destacam-se as espécies que ocorrem nos solos derivados de rochas ultrabásicas, algumas delas endémicas. A fauna é também muito diversificada, resultante da variedade de habitats que ocorrem nesta área de montanha. O exemplo são as mais de 110 espécies de aves nidificantes, de onde se destacam as aves de rapina, tais como a águia-real (Aquila chrysaetus); e ainda os 70% de espécies de mamíferos terrestres ocorrentes em Portugal (10% destas com estatuto de ameaçado no Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal), com destaque para uma das mais importantes populações de lobo-ibérico (Canis lupus signatus). Relativamente à herpetofauna, o parque alberga 50% dos endemismos Ibéricos existentes em Portugal continental. Na ictiofauna destacam-se as espécies de água-doce, tais como como a Truta (Salmo trutta).

Adaptado do ICNF | Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P.